Desabilitar carregamento

Feijão resistente na América Central

Notícias 18 de novembro de 2012

O feijão resistente ao mosaico dourado, desenvolvido pela Embrapa e aprovado pela CTNBio, em 2011, deve cruzar fronteiras. O pesquisador da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Francisco Aragão, revela que o Brasil deve fazer um teste em Honduras para verificar se a semente também é resistente ao tipo de vírus que se manifesta naquela região. Ele explica que, no Brasil, o vírus disseminado pela mosca branca, responsável pela doença do mosaico dourado, é conhecido como bean golden mosaic virus, enquanto que, na América Central, é chamado de bean golden yelow mosaic virus. Naquela região, diferente do Brasil, a infecção pode ocorrer pelo toque do agricultor, passando de uma planta para outra. Aragão diz que houve interesse da Argentina, Costa Rica, Panamá, Cuba e Equador, em fazer o teste. Mas Honduras se tornou mais viável, segundo ele, porque, como no Brasil, lá há Lei de Biossegurança. “A estimativa é de que existe 90% de chance de funcionar. Mas é um processo bi ológico. Se não der certo, não disponibilizamos.” Está em negociação com a Universidade Zamorano, de Honduras, autorização para usar o mesmo processo que foi aprovado pela CTNBio.
No Brasil, onde a doença gera prejuízo entre 90 mil toneladas e 280 mil t por ano, a Embrapa trabalha para obter o registro e começou em fevereiro passado ensaios em cinco regiões produtoras. Serão 12 ensaios por dois anos, com expectativa de comercializar pós fevereiro de 2014. Não haverá cobrança de royalties.

 

Fonte: Correio do Povo – PORTO ALEGRE – (RS) – 18/11/2012